7.23.2017

Anda comigo







anda comigo um pássaro que descerra
portas e janelas
à procura de um coração de asas

não sei se o que digo o morde
por dentro ou por fora
nem se o vento que por aqui passa
é o que passa lá
mas anda sempre comigo
mesmo quando
no mais equivocado dos verbos
deixo cair todos os gestos

parece apego
mas é só falésia de arrebatamento
que um dia se esvai como se esvai
toda e qualquer ave que se rende
ao lado mais belo do mar

e então estarei só


Salete