9.12.2017

Quando





quando à sombra
das mangueiras de minha infância
eu regresso
não penso na inocência perdida
a espera que a tempestade cesse
penso nos espaços abertos
na vibração do sangue
que pulsa gota a gota eternidades
no azul inacabado do meu olhar
no aroma das frutas maduras que caem
com a agitada aragem
dos dias encobertos
e assim
com a boca cheia
as cores surgem tão imperturbáveis
que julgo ser doce o caminho
mesmo quando feito de pedras


Salete



20 comentários:

Eros disse...

É como se todos os sentidos não se encontrassem amordaçados... justamente!

Jaime Portela disse...

A aridez do caminho depende bastante do nosso estado interior.
Excelente poema, gostei muito.
Bom fim de semana, amiga Salete.
Beijo.

Mariazita disse...

Olá, Salete
Peço imensa desculpa por só agora aparecer para agradecer sua presença na minha CASA mas, como sabe, fui de férias, e quando seu comentário chegou eu já estava ausente...
Gostei muito de seu espaço, e voltarei sempre que possível.
Já me fiz sua seguidora para não lhe perder o rumo...

O seu texto poético é muito bonito, ainda que impregnado de nostalgia.
A alma dos poetas é assim - deixa sempre transparecer o que sente...

Publiquei novo post. Lá espero por si, desejando que lhe agrade...

Bom Fim-de-semana
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Existe Sempre Um Lugar disse...

Olá, o poema é sentido e maravilhoso, saudades que ficam, são as sombras coloridas e cinzentas que marcam.
Feliz semana,
AG

Maria Rodrigues disse...

As doces recordações da infância ajudam a amenizar as amarguras da vida.
Maravilhoso poema.
Boa semana
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

São disse...

Um excelente poema, que muito me agradou.

E , sim, que tenhamos sempre a força de enfrenatr as dificuldades.

Beijos

São disse...

Enfrentar, claro

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Tua saudade da infância
Sob a frondosa mangueira
É uma suposta maneira
De reviver à distância

O belo da vida e em ânsia
Querer voltar à primeira
Sensação de vida inteira
À frente em doce fragrância.

A infância é uma fase linda,
Sensação de estar ainda
Nela, é sonho risonho.

Por isso mesmo, não cinda
Aquela fase em berlinda
Mesmo que se viva em sonho.

Grande abraço. Laerte.

Maria Glória disse...

Salete, olá!
Estas tuas linhas, me levaram para a infância, que além das delícias aprontadas, não posso deixar de lembrar das delícias do paladar, nos finais de tarde. E que agora, permanecem em sonhos, na memórias, mas com a certeza de terem sido bem aproveitadas.
Bonito querida! Por aqui, sempre belezas e delicadezas no ar.
Beijinhos :))

CÉU disse...

E quem não sente saudades da infância? Qdo pensamos nessa fase etária, voltamos a ser crianças com cheiros, sabores, mimos e ingenuidade, mesmo que na fase adulta as pedras nos firam o corpo e a alma.

Beijos, querida Salete!

Jaime Portela disse...

Vim à procura de mais...
Mas gostei de reler o teu magnífico poema.
Bom fim de semana, amiga Salete.
Beijo.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Olá, regressei para apreciar uma nova partilha e comentar, não foi possível, resta-me desejar-lhe continuação de feliz semana.
AG

saudade disse...

Passei e gostei do que li.
Excelente.
Saudade

Jaime Portela disse...

A primavera chegou e não há novo poema.
Bom fim de semana, amiga Salete preguiçosa...
Beijo.

Evanir disse...

Não é por falta de carinho,
que tenho ficado ausente do meu blog.
Estou sim com alguns motivos ,
que tem me inpedido de fazer visitas.
Mas jamais esquecerei a grandeza da nossa amizde,
que lia nossa e ficava sempre a me perguntar.
Um feliz tarde desse sabado
Um Domigo abençoado.
Beijos,,Evanir.

Louraini Christmann - Lola disse...

Pois, com certeza há pedras doces...
Feito!
A poesia tudo pode!!!

abraço
Lola

Maria Rodrigues disse...

Passando para desejar um feliz outubro e um excelente domingo
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

Profª Lourdes disse...

Amigos são como as estrelas no céu. Eles são mais claros nos tempos de escuridão e quando a amizade perdura suportando a distância.
E porque não dizer, podemos chamar de amigos, os virtuais que vence a distância para nos visitar e trazer um elogio, uma palavra amiga, um abraço... E como é maravilhoso! Quantas vezes senti que não estava só lendo seu comentário. Obrigada por sua amizade, que Jesus lhe proteja sempre e se estenda a sua família.
Abraços da amiga Lourdes Duarte.

Profª Lourdes disse...

Linda poesia! Amo o que escreves grande poetisa! Parabéns pelo seu dia, hoje dia do poeta.

Profª Lourdes Duarte disse...

Boa noite amiga! Hoje vim agradece sua visita, dizer que amei o comentário. Amo suas visitas e vir aqui apreciar suas maravilhosas postagens. Hoje voltei a trabalhar a licença proêmio acabou e agora é esperar as férias. Ou se antes das férias marcar a cirurgia. Alguns amigos e amigas me perguntam, “Por que ainda na ativa como professora?” Quando fui admitida no concurso já estava quase me aposentando da rede municipal. Dessa forma, ainda não tenho tempo de contribuição. Me aposentarei daqui a cinco anos! Haja tempo para a idade que estou. Mas só agradeço a Deus por tudo, e amo o que faço.
Quanto as minhas visitas farei de tudo para sempre retribuir com todo carinho.
Deus é nosso Pai e sabe o tempo certo para tudo na nossa vida.
Lhe desejo uma noite de paz e um amanhecer feliz, com muita saúde. Abraços da amiga Lourdes Duarte.